sábado, 3 de novembro de 2007

Revista, jornal O GLOBO - 4/11/2007 [Ano 4, n. 171]

Apoie essa causa, assine a petição on-line clicando em:
Click na foto abaixo e você será direcionado ao site da Revista.
A matéria está nas páginas 20 e 21, leia, ou acesse:
Li, estarrecida, na matéria “Aqui jaz uma confusão”, publicada na Revista do jornal O GLOBO, [Ano 4, n. 171], de 4/11/2007, a afirmativa de que o Cemitério Comunal Israelita do Caju apresentou à prefeitura um plano de R$ 1,5 milhão para recuperar o Cemitério Israelita de Inhaúma. Tal ato tem dois objetivos:
  1. Imputar uma ordem moral aos mortos ali enterrados, os condenando após seus falecimentos e os cercando num muro, seja ele de que tamanho for, e
  2. Usurpar um terreno comprado, em 1912, pelos sócios e sócias da Associação Beneficente Funerária e Religiosa Israelita. Esses sócios NUNCA precisaram de qualquer auxílio da Comunidade Judaica para sobreviverem dignamente.

Fico me perguntando: de onde sairá tal quantia? Os possíveis novos enterros em Inhaúma jamais recuperariam esse investimento. Generosidade, não creio?
Há tanto por fazer na comunidade e a direção das entidades se queixa sempre de falta de verbas. Mas essa quantia substantiva seria assim destinada. Estranho, não?
Há algo muito bizarro em toda essa história. Mas posso garantir: apagar a memória daquelas mulheres, colocar um muro de qualquer tamanho, e tentar fazer novos enterros ali NÃO IRÃO conseguir!

5 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Flavia disse...

Beatriz

Eu gostaria muito de ter contato com voce, acho a historia das "polacas" lindissima e gostaria muito de conhecer o cemiterio. Está aberto a visitacao?

Tm nao consigo achar seu livro pra vender ... onde encontra-lo?

Em tempo, nao sou judia nem historiadora. Mas acho que esta historia deveria estar nos livros escolares dos alunos do rio de janiero.

bacci.

Bia K. disse...

Flavia, nao sei como me comunicar com vc, seu blog é trancado...

Luciana disse...

Cara Beatriz,
Meu nome é Luciana Mitkiewicz, não sou judia, sou filha de poloneses, sou atriz, diretora e produtora teatral, e gostaria muito de aprender mais sobre a história dessas mulheres.
Não tenho blog - ainda - mas mesmo assim gostaria de conhecê-la.
Atualmente, estou em cartaz com a peça O Chá, no Teatro Vanucci, no shopping da Gávea, de quinta a sábado, às 19:00. Quero convidá-la a assistir à peça. Ficarei muito feliz se você aceitar.
De qualquer maneira, meu e-mail é lucimit@ig.com.br
Um abraço,
Luciana.

Blog Visão Hebraica disse...

Realmente um verdadeiro absurdo o que estão fazendo com esse cemitério. Nunca soube que o Cemitério Israelita de Inhaúma abrigava essas mulheres, mesmo eu morando próximo a tal instituição. Mas concordo que algo deve ser feito e que o mesmo seja preservado e disponibilizado para visitações. É não só a história dessas mulheres que sofreram para preservar a sua fé e cultura como tb faz parte da história de nossa cidade. A visitação ao mesmo ainda não está sendo permitida?

OBS: Fiquei à vontade para visitar o meu blog tb: http://visaohebraica.v10.com.br